Dicas para o uso da crase – regras e exercícios

O português é um dos idiomas mais complexos do mundo, gerando dúvidas até mesmo em especialistas. Sendo assim, é bastante complicado o domínio completo da língua, fazendo com que tenhamos de recorrer à ajuda de maneira constante.

E um dos assuntos que mais gera questionamento é o do uso da crase. Com isso, abaixo vão algumas dicas de como usar esse acento e não vacilar na hora de escrever um texto ou responder uma questão de prova.

O que é a crase?

A crase é a junção da preposição “a” com o artigo definido “a(s)”, ou ainda da preposição “a” com as iniciais dos pronomes demonstrativos aquela(s), aquele(s), aquilo ou com o pronome relativo a qual (as quais). Graficamente, a fusão das vogais “a” é representada por um acento grave, assinalado no sentido contrário ao acento agudo: à.

Regras para usar a crase

1- Substitua a palavra antes da qual aparece o a ou as por um termo masculino. Se o a ou as se transformar em ao ou aos, existe crase; do contrário, não;
2- No caso de nome geográfico ou de lugar, substitua o a ou as por para. Se o certo for para a, use a crase;
3- A combinação de outras preposições com a (para a, na, da, pela e com a, principalmente) indica se o a ou as deve levar crase. Não é necessário que a frase alternativa tenha o mesmo sentido da original nem que a regência seja correta;
4- Nas formas àquela, àquele, àquelas, àqueles, àquilo, àqueloutro (e derivados);
5- Nas indicações de horas, desde que determinadas: Chegou às 8 horas, às 10 horas, à 1 hora. Zero e meia incluem-se na regra: O aumento entra em vigor à zero hora.
6- Nas locuções adverbiais, prepositivas e conjuntivas como às pressas, às vezes, à risca, à noite, à direita, à esquerda, à frente, à maneira de, à moda de, à procura de, à mercê de, à custa de, à medida que, à proporção que, à força de, à espera de.
7 – Nas locuções que indicam meio ou instrumento e em outras nas quais a tradição lingüística o exija, como à bala, à faca, à máquina, à chave, à vista, à venda, à toa, à tinta, à mão, à navalha, à espada, à baioneta calada, à queima-roupa, à fome (matar à fome).
8 – Antes dos relativos que, qual e quais, quando o a ou as puderem ser substituídos por ao ou aos: Eis a moça à qual você se referiu (equivalente: eis o rapaz ao qual você se referiu).

Regras para não usar a crase

1- antes de palavra masculina: “Ele está no Rio a serviço”;
2- antes de artigo indefinido: “Chegamos a uma boa conclusão”;
3- antes de verbo: “Fomos obrigados a trabalhar”;
4- antes de expressão de tratamento: “Trouxe uma mensagem a Vossa Majestade”;
5- antes de pronomes pessoais, indefinidos e demonstrativos: “Nada revelarei a ela, a qualquer pessoa ou a esta pessoa”;
6- quando o “a” está no singular, e a palavra seguinte está no plural: “Referimo-nos a moças bonitas”;
7- quando, antes do “a”, existir preposição: “Compareceram perante a Justiça”.

Exercícios com crase

Agora que você já conheceu bem o que é e como fazer o uso da crase, já pode treinar o seu conhecimento realizando alguns exercícios sobre o assunto. Para isso, basta realizar uma simples busca no Google que achará vários deles.

Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *